Level E – Corrente de Reviews 2013

Prontos para conhecer o príncipe mais maluco de todos os tempos? Level E  é um mangá de Togashi Yoshihiro, que trilhou a fama na Shonen Jump, publicado por este seguinte a um descanso de um ano após o término do seu maior hit, Yu Yu Hakusho para quem não sabe (ou não teve infância), e anterior ao seu novo sucesso Hunter x Hunter. O autor (famoso por adorar video games e atrasar seu trabalho em decorrência disso) firmou-se com histórias de batalhas e elementos sobrenaturais, conseguindo se bater muitas vezes com sucessos do calibre de Dragon Ball e One Piece, mas aqui nos mostra outro tipo de trama, sendo esta cheia de humor escrachado e personagens hilários que eu adoro, digo isso ainda que o objeto desta análise não seja os quadrinhos e sim sua adaptação animada.                                                                                                                                                                                                           O príncipe é quem move o caldeirão de ideias que  é essa série, está sempre buscando o que quer e sabe como conseguir (por ser além de sádico, genial) não se dando por satisfeito até infernizar completamente a vida dos outros, sendo assim o protagonista é um dos principais motivos que fazem ser tão divertido acompanhar o anime. Tsuitsui é o típico personagem com quem podemos empatizar desde o início, para entendermos a partir do seu ponto de vista o que se passa naquele mundo e quem diabos é aquele maldito Ouji.                                                                                                                                                           Com esses dois personagens a história começa, com o primeiro sempre trolando o segundo (tudo com um timing e piadas ótimos) e o roteiro se diverte explorando suas possibilidades, dando a impressão de que tudo é muito bem pensado. Os planos do príncipe são impactantes de diversas formas, brincando não só com suas vítimas e subordinados (que aliás são muito divertidos, sendo os que provavelmente nutrem mais ódio pelo Baka Ouji) como também com quem assiste, criando momentos que trazem várias reviravoltas.                                                                                                                                                   As músicas não são nada especial, mas gostei da abertura Cold Finger Girl, com um estilo bem bizarro. O arco dos Color Rangers foi o melhor da série, a relação dos cinco garotinhos era incrível por si só  e o Ouji teve momentos memoráveis enquanto tentava torturá-los. O final também acerta bastante, trazendo personagens apresentados no início e pessoas diretamente relacionadas ao príncipe, tudo para deixar este numa situação complicada.                                                                               Concluindo, o anime consegue garantir bons momentos de comédia, drama e sci-fi,  foi o que eu busquei depois de ver uma premissa tão interessante, falando objetivamente, Level  E é para quem procura tudo isso, é muito bem feito em todos os aspectos. Lembro de tê-lo comparado bastante ao meu amado Gintama, e a comédia non-sense realmente se parece, além das duas conseguirem nos conquistar com seus personagens altamente peculiares e carismáticos.                                                                 Ainda que curta, será essa minha  contribuição para a Corrente de Reviews 2013 (saiba mais nesse link) , atendendo a indicação do A Fake Blog, resenhei sobre Level E, e como a corrente deve continuar, recomendei Gun Smith Cats ao Gyabbo (era para ser Shonan Junai Gumi, mas enfim…fiquei magoado, Denys). Aguardem mais reviews do Kyokusen, a próxima será sobre o jdrama Proposal Daisakusen: Operation Love (sigam-me os bons, @netokun1).